Breve biografia  de Alceu de Paula Penna

*1915 Curvelo, MG +1980 Rio de Janeiro, RJ
Desenhista, ilustrador, figurinista, jornalista, cenógrafo, publicitário, designer de moda, artista.

Em 1º de janeiro de 1915 nasceu Alceu de Paula Penna em Curvelo, região central de Minas Gerais,.
Desde criança já demonstrava seu interesse pela arte, desenhava com carvão ou giz que ganhava de um alfaiate vizinho. nas calçadas em frente à sua casa em Curvelo, MG, onde viveu até seus 17 anos.

No ano seguinte a morte de seu pai Sr Chistiano, em 1932 mudou-se para o Rio de Janeiro. Iniciou seus estudos em Arquitetura na Escola Nacional de Belas Artes do RJ/ENBA e frequentou como ouvinte cursos ligados às artes plásticas, que era o seu real interesse, durante os cinco anos da faculdade.

Alceu foi um jovem determinado e sua intenção maior era fazer parte da equipe de O Cruzeiro. Foi incansável nesta busca e aproveitou muito bem as oportunidades. Como já se tornara um artista requisitado precisou abandonar os estudos no último ano. No ano que chegou ao Rio, após seu encontro com seu ídolo J. Carlos conseguiu publicar seus primeiros desenhos no Suplemento Infantil de “O Jornal” e ilustrou livros infantis.
Nesta década fez as primeiras criações para shows e espetáculos teatrais, como os figurinos dos espetáculos nos cassinos do Rio de Janeiro, além da decoração e das fantasias para bailes de carnaval. Por muitos anos criou muito para este segmento.


Em 1933 conseguiu se integrar a redação da famosa revista “O Cruzeiro”, distribuída em todo Brasil, fazendo ilustrações para contos e reportagens, além de artigos sobre arte.


Em 1941, a convite do ltamaraty, acompanhou Walt Disney durante sua estada de quinze dias no país para lançar o filme Fantasia, quando foi convidado a trabalhar nos Estúdios Disney, convite que recusa. Alceu foi um brasilianista.
Assumiu por definitivo a criação dos textos e ilustrações para a Seção de Moda da revista “O Cruzeiro”.
Em 1937, realizou traduções de histórias em quadrinhos norte-americanas, para O Globo Juvenil, além de adaptar diversos clássicos literários para essa linguagem, publicados entre 1933 e 1939. Com roteiro do escritor Nelson Rodrigues (1912-1980) foi um dos primeiros a desenvolver os “comics”no Brasil.

 

 

Em 1938, iniciou seu trabalho mais conhecido, “Garotas”, sugerida pelo diretor da revista Accioly Neto, inspirado nas “ Gibson’s Girls” que fizeram sucesso nos EU e Canadá na década de 20 e que tomava o lugar das melindrosas. Publicada semanalmente e ininterruptamente na revista “O Cruzeiro” por 26 anos, até 1964,  as “Garotas do Alceu” passaram a ser uma referência de moda, estilo e comportamento para o público feminino. Com uma nova forma de representar a sensualidade feminina e valorizando a mulher, Alceu Penna criou tendências e influenciou várias gerações de brasileiras, trazendo para a moda as novidades publicadas nas revistas estrangeiras e depois, suas próprias criações.
Em 1940, nos Estados Unidos da América, onde morou por algum tempo como correspondente da revista, fez desenhos para a revista “Esquire”.
Em 1941, ainda em Nova York, USA, o desenhista sugeriu a renovação do figurino da cantora Carmem Miranda (1909-1955) e de seus músicos. Saias multicolores com fendas, turbantes e sapatos de solas grossas para a cantora e as camisas listradas e chapéu panamá para os músicos foram sugestões de Alceu.
De 1946 a 1952, produziu uma série de calendários para a empresa “Moinho Santista Indústrias Gerais” e para a revista “O Cruzeiro” inspiradas nas pinups americanas. Ilustra a revista “Tricô e Crochê” onde é também editor. 
Nos anos 1950, Alceu Penna criou e publicou editoriais de moda na revista “A Cigarra”. Criou também nesse veículo as HQ “Marido da Madame” e “Mocinha”.
Em 1960, a multinacional francesa Rhodia o convidou para a criar os figurinos para os shows-desfiles, que durou até 1970.

Foram apresentadas coleções anuais no Brasil e no exterior. Com Cyro Del Nero, cenógrafo e produtor dos shows e Livio Ragan, diretor de maketing da empresa, ajudou a “criar uma identidade para a moda brasileira “ ao mesmo tempo que difundiu os fios da multinacional.”
Em 1967, fez os desenhos para o Caderno de Orientação de Moda Inverno 67, Seleção Rhodia Moda e Primavera/Verão 67/68 Rhodia Moda.


Em 1968 criou os figurinos para a peça “Isso devia ser proibido” de Braúlio Pedroso (direção de Gianni Rato com Walmor Chagas e Cacilda Becker); fez os trajes típicos (inspirados no café) usados pelas recepcionistas da VII Feira da Providência do Estado da Guanabara e ilustrou o livro “ABC das Mães”, de Odilon Andrade (Editora Forense).

Neste mesmo ano criou um dos seus mais iportantes trabalhos, os figurinos para o Show-Desfile Momento 68, promoção Rhodia, Shell, Ford e Willys, texto de Millôr Fernandes, direção Ademar Guerra, direção musical Rogério Duprat, cenografia de Cyro del Nero. A coleção criada por Alceu Penna para o espetáculo-desfile incluiu modelos em tecidos com estampas de artistas plásticos famosos, como Francisco Brennand, Fernando Lemos, Aldemir Martins e Willy de Castro, que integram atualmente o acervo do MASP.
De 1969 a 1970 participa da criação dos Figurinos para o Show-Desfile “Stravaganza” da Rhodia.


Em 1970 tem seus trabalhos exibidos na mostra coletiva – Mestres da Ilustração – ocorrida na Escola Panamericana de Arte (RJ). Show e desfile do lançamento da Coleção Rhodia Moda inverno/70 “Afrodísia”; Figurinos femininos para o show “Build Up”, promoção Rhodia e Manchete; Fantasias para o bloco carnavalesco “Canários das Laranjeiras“ e conquistou o tetra campeonato; Figurinos para a montagem de Hamlet , com Walmor Chagas, direção de Flávio Rangel.
Em 1972 criou os Figurinos para “Brazil Export Show”, no Canecão de Abelardo Figueiredo; Figurino e cenário para “O Jogo do Crime”, de Anthony Shaffe, com Paulo Gracindo e Gracindo Jr. no teatro do Glória. Fez modelos para a Fiação Pessina, coleção “Mini Moda“(até 1974); Figurinos para o programa “Paz e Humor” n.2, TV Tupi / Rio.
De 1973 a 1974 Assinou a Coleção Ducal Jeans/Madras e fez os Modelos para Fios Pessina – verão 73/74. Criou os Figurinos para o Show Musical Circus no Canecão, RJ. Colaboração com a revista “Manequim” nos assuntos noivas e carnaval.
Em 1974 fez os modelos e prestou assessoria de estilismo para a Raicharm Indústria de Malhas e Modas Ltda; Criação de Modelos para Fios Pessina – verão 74/75.


Sofreu um AVC e perdeu alguns movimentos e passou com muita tristeza a ter algumas limitações para trabalhar.
De 1976 a 1977, continuou a fazer a decoração carnavalesca do Salão Nobre do Hotel Glória” e para o `”TV Rio Carnaval Show” no Hotel Glória. Nas décadas de 60 a 70 continua sua produção artística e criou inúmeros modelos de vestidos de noivas e para ocasiões especiais para as sobrinhas e amigas.

Em 1980, Alceu Penna faleceu no Rio de Janeiro no dia 13 de janeiro.
Seu inestimável legado hoje é objeto de pesquisa, estudo e exposições. Muitos artigos já foram publicados sobre o artista em diversos jornais e revistas, assim como na web. Alceu Penna era dono de um traço ágil e estilo inconfundível. Desenhava com rapidez, espontaneidade e graça absolutamente ímpar. Um fato interessante, sempre que se fala na biografia de Alceu Penna, como um espetacular colorista, é o fato dele ser daltônico. Isso nunca foi problema para o artista, que tinha marcado por escrito as cores nos tubos de tintas e auxiliado pela irmã Thereza, que o acompanhou até o fim da vida e foi a organizadora e promotora do seu extenso trabalho artístico.

 

 

Para saber mais: Webpage www.alceupenna.com.br / Facebook @alceuppenna / Instagram @alceu_penna_oficial / Tumblr alceupenna.tumblr.com

Imagens e fotos: Acervo Alceu Penna Texto: Luiza Penna de Andrade
Este material é detentor do direito autoral, patrimonial e moral, com base nos incisos do art. 7º da Lei n. 9.279 de 1996 (LPI) e artigo 5°, inciso XXIX, da Constituição de 1988. Uso indevido está sujeito a indenizações. Para reproduzi-lo entre em contato com [email protected] ₢ Art-Emporium Ltda.

Alceu Penna
Biografia cronológica

1915
Alceu Penna nasce no dia 1º de janeiro de 1915 em Curvelo, Minas Gerais, quarto filho do farmacêutico e fazendeiro Christiano Penna e de Mercedes de Paula Penna. Criança ainda, já mostrava seu talento desenhando com carvão ou giz que um alfaiate lhe cedia nas calçadas da sua cidade.
Alceu perde seu pai, Christiano, em 1931.

1932
Muda-se para a cidade do Rio de Janeiro para morar com os tios Alexandre e Isabel Augusta em Botafogo( a família de Alceu depois da morte de seu pai passou dificuldades financeiras). Matricula-se no curso de Arquitetura da Escola Nacional de Belas Artes – ENBA – da Universidade do Rio de Janeiro e frequenta como ouvinte diversas disciplinas do curso de Artes Plásticas.

1933
Alceu começa a trabalhar em 1933 na Empresa Gráfica O Cruzeiro (Diários Associados) fazendo ilustrações em artigos, contos, reportagens de arte e desenhos para a capa da revista.

1934
Ilustração para o livro de música “O Sapo Dourado”, música de Hekel Tavares, argumento de Martha Dutra, publicado pela Lytho-Typo Pimenta de Mello e Cia e cria cenários para a peça de teatro “O Sapo Dourado” dirigida por Oduvaldo Vianna.
Nesse mesmo ano recebe três premiações no Concurso para as melhores fantasias de carnaval para corso, baile e rua promovido pelo Departamento de Turismo da Prefeitura do Rio de Janeiro e Associação dos Artistas Brasileiros. Faz ilustrações e capas para a Revista Praia

1936.
Recebe cinco prêmios no Segundo Concurso de Fantasias da AAB no Palace Hotel.

1937
Abandona o curso de Arquitetura da Escola Nacional de Belas Artes.

1937 a 1938
Com Nelson Rodrigues, faz as traduções das histórias norte-americanas publicadas no periódico O Globo Juvenil e cria versões em quadrinhos de diversos clássicos literários, dentre os quais: Sonhos de uma Noite de Verão, Alice no País das Maravilhas, Um yankee na Corte do Rei Artur e O Fantasma de Canterville, para o mesmo periódico.
Faz as capas para a revista “Cidade Maravilhosa” ano I, n.5 e n.6 de novembro e dezembro. Passa a criar figurinos, cenários e peças gráficas (como menus e programas) para os principais Cassinos do Rio de Janeiro e torna-se Professor na Escola de Cinema, “Associação Cinematográphica de Productores Brasileiros”.
Ilustra um grande número de livros em parceria com grandes nomes da literatura, principalmente infantil.
Colaborou com as revistas: “O Cruzeiro”, “A Cigarra” ‘O Globo Juvenil’ e ‘Manequim’ e ilustrou também suplementos femininos, tiras infantis e de moda.

1938


Em abril, cria com o diretor da O Cruzeiro, Accioly Neto, a seção semanal Garotas na revista O Cruzeiro, que alcança sucesso imediato.
Já em 1938 os jornais divulgavam com grande destaque: ” As garotas que sào a expressào da vida moderna, endiabradas e inquietas serào apresentadas todas as semanas em ‘O Cruzeiro” por Alceu Penna…” Começam assim “As Garotas de Alceu”, que abordavam os mais variados temas; mundanos, políticos, cinematográficos, esportivos etc.e que foram rapidamente adotados como referência por garotas modernas, por nada menos que 26 anos consecutivos de publicação ininterrupta.
Inicia a produção de peças publicitárias para cigarros da Cia. Souza Cruz.

1939
Atua como correspondente da revista O Cruzeiro nos EUA, cobrindo a Feira de Nova York. De lá envia as ilustrações e textos para a seção Garotas – ambientadas em Nova York e matérias regulares e desenhos para a revista O Cruzeiro.
Continua a fazer ilustrações para diversos livros e peças publicitárias.

1940
Nos Estados Unidos, colabora com ilustrações para a revista “Esquire”.
Tendo conhecido Carmem Miranda na época dos shows nos Cassinos, passa a ser seu amigo e consultor informal de moda em 1941, sugerindo as saias mais abertas e sandálias de plataforma.
Atribui-se a Alceu a criação do figurino usado por Carmen Miranda em cena do Casino Madrilleno no filme “Week-end in Havana” (dir. Walter Lang), assim como outros deste período.

1941


A convite do ltamaraty, acompanha Walt Disney durante sua estada de quinze dias no país para lançar o filme Fantasia, quando é convidado para trabalhar nos Estúdios Disney mas recusa o convite.
Assume por definitivo a criação de textos e ilustrações para a Seção de Moda da revista O Cruzeiro.

1942
Publica a versão em quadrinhos da fábula “O mágico de Oz” na revista O Globo Juvenil.
Cria figurinos para os shows “Zigaresca” e “Pátria” apresentados no Cassino Atlântico e modelos para o Jornal Mundano em “O Jornal”.

1943
As “Garotas” passam a ser um programa de rádio transmitido todas as sextas-feiras às 19:30 pela Tupi, com grande sucesso. Cria figurinos para shows no Golden-Room do Copacabana Palace e Cassino e Hotel Quitandinha. Neste cria e executa a decoração para o salão infantil.


1944
Torna-se responsável pelas ilustrações do Suplemento Feminino de A Cigarra, o qual em 1948 passa a se chamar A Cigarra Feminina, até 1955.
Entre 1944 e 1945 cria figurinos para shows do grill-room do Cassino da Urca e os espetáculos realizados nos Cassinos Atlântico, Copacabana e lcaraí.


Em Paris, França em 1946 trabalha como correspondente de moda da revista O Cruzeiro.
Na Europa acompanha os desfiles dos grandes costureiros da capital francesa, trazendo as tendências para o Brasil.
Neste período cria calendários ilustrados para O Cruzeiro e a empresa Santista. Elabora capas, ilustrações, matérias e diagramação da revista Tricô e Crochê. (publicação da S.A. Moinho Santista Indústrias Gerais até o ano de 1952).
Continua a criar figurinos para teatro de revista no Teatro República e peças publicitárias para produtos e medicamentos da The Sydney Ross Company.


Cria para a revista A Cigarra, uma seção intitulada Marido de Madame em 1948. Ilustra e cria a capa para o livro “Detalhes de Elegância e Beleza”, escrito por Elza Marzullo.
Neste ano Alceu traz sua mãe Mercedes e os irmãos mais novos para morar com ele no Rio de Janeiro, num amplo apartamento no Flamengo.

De 1948 a 1957 faz as ilustrações para a seção Mocinha da revista A Cigarra.
Nos anos 50 cria vestidos para o desfile “La Reine Du Charme“, evento beneficente da Providência dos Desamparados,no Golden Room do Hotel Copacabana, figurinos para o Teatro de Revista Escândalos 1950, estrelada por Bibi Ferreira, escrita por Hélio Ribeiro (l935-2000) com direção de Chianca de Garcia (1898-1983), figurinos para o espetáculo teatral “Quem Roubou meu Samba”, de Silveira Sampaio (1914-1964) no Hotel Glória.

Além de participar como jurado de concursos, cria fantasia para Martha Rocha em sua participação no concurso de beleza Miss Brasil 1954 e a fantasia Cearense, para Emília Correia Lima, eleita Miss Brasil em 1955.
Foi autor da cenografia e figurino para o show “Brasil de Pedro a Pedro” com direção de Eduardo Tapajós, de Silveira Sampaio e música de Guio de Morais, dos figurinos e cenários para o espetáculo teatral “No País dos Cadillacs”, de Silveira Sampaio.
Realiza a decoração para Baile dos Artistas no Hotel Glória de 1956 até 1962, retornando em 1964.


Em 1960 inicia seu trabalho como estilista e consultor de moda para a Rhodia Têxtil através da Standard Propaganda – empresa responsável pela conta da Rhodia, a qual passa a investir maciçamente em publicidade, desfiles e editoriais de moda. Cria dezenas de coleções que foram desfiladas na FENIT e em eventos realizados em países como França, Portugal e Itália.
Continua a publicação de reportagens e desenhos de Moda na revista O Cruzeiro, assim também em outros veículos, como as revistas Manequim e A Cigarra.
1963


O traje típico para Vera Lucia Ferreira Maia, com referência às calçadas de Copacabana para o Concurso de Miss Guanabara é de autoria de Alceu. .
Criação da Coleção Brazilian Style, verão 64/65, Seleção Rhodia de Moda
Ilustração do livro “Gente Miúda Recitando”, escrito por Albano Paulo de Paiva e editado pela Gráfica Eltin Ltda.

1964
Após 26 anos de publicação, a seção Garotas na revista O Cruzeiro é descontinuada.

1965 a 1966
Figurino e desenho de estamparia para o show “Brazilian Primitive”, Coleção Rhodia Moda, promoção Cia.Brasileira Rhodiaceta, revista Jóia e VARIG. Ilustração original do acervo do artista.

1966
Figurino para o Show – desfile musical “Rio 400 anos”, promoção da Cia Brasileira Rhodiaceta, revistas Manchete, Jóia e Fatos e Fotos, direção e produção Ronaldo Boscoli e Miéli, execução de figurinos José Nunes.
Figurinos para o show “Frenesi” estrelado por Grande Othelo, dirigido por Carlos Manga e exibido no Golden Room do Copacabana Palace.

19671968
Figurino para o show e desfile “Brazilian Fashion Follies”, Seleção Rhodia Moda para o verão 67/68, promoção Rhodia, Shell, Ford, Helena Rubinstein, direção Gianni Ratto, coreografia Lennie Dalle, música Júlio Medaglia, cenografia Cyro del Nero.
Atuação na produção de coleções para a Rhodia, e para os espetáculos-desfiles promovidos por essa empresa, que se apresentam em vários países.
Desenhos para o Caderno de orientação de moda Inverno 67, Seleção Rhodia Moda e Primavera/Verão 67/68 Rhodia Moda.

1967


Figurinos para a peça “Isso devia ser proibido” de Braúlio Pedroso e direção de Gianni Rato em janeiro de 1968 no Teatro Copacabana, RJ. Com Walmor Chagas e Cacilda Becker.
Trajes típicos (inspirados no café) usados pelas recepcionistas da VII Feira da Providência do Estado da Guanabara.
Ilustra o livro “ABC das Mães”, escrito por Odilon Andrade e publicado pela Editora Forense.

1968
Figurino para o Show-Desfile Momento 68, promoção Rhodia, Shell, Ford e Willys, texto de Millôr Fernandes, direção Ademar Guerra, direção musical Rogério Duprat, cenografia Cyro del Nero.
A coleção criada por Alceu Penna para o espetáculo-desfile incluiu modelos em tecidos com estampas de artistas plásticos famosos, como Francisco Brennand, Fernando Lemos, Aldemir Martins e Willy de Castro, que integram atualmente o acervo do MASP.

19691970
Figurinos para o Show-Desfile “Stravaganza” da Rhodia
Participação da comissão julgadora “Rainha dos XXI Jogos da Primavera, no salão nobre do Tijuca T.C.

1970
Tem trabalhos exibidos na mostra coletiva – Mestres da Ilustração – ocorrida na Escola Panamericana de Arte (RJ).
Figurinos para a montagem de Hamlet , peça protagonizada por Walmor Chagas e dirigida por Flávio Rangel.

1970
Show e desfile do lançamento da Coleção Rhodia Moda inverno/70 “Afrodísia”, produção Roberto Palmari, decoração Cyro del Nero, direção musical Rogério Duprat e Diogo Pacheco, direção coreográfica Ismael Guizer.Figurinos femininos para o show “Build Up”, promoção Rhodia e Manchete. Fantasias para o bloco carnavalesco “Canários das Laranjeiras“ conquistando o tetra campeonato.

1972
Figurino para “Brazil Export Show”, no Canecão de Abelardo Figueiredo.
Figurino e cenário para “O Jogo do Crime”, de Anthony Shaffer, tradução e direção de João Bithencourt, com Paulo Gracindo e Gracindo Jr.; no teatro do Glória.
Modelos para a Fiação Pessina, coleção “Mini Moda“(até 1974).
Figurinos para o programa “Paz e Humor” n.2, TV Tupi / Rio. A ilustração provavelmente representa um figurino para o ator Jô Soares.

19731974
Assina a Coleção Ducal Jeans/Madras.
Modelos para Fios Pessina – verão 73/74
Figurinos para o Show Musical Circus, com direção de Renata Fronzi e Juan Carlos Berardi, no Canecão, RJ. A ilustração é um figurino feito para a cantora Wanderléia, que participou do espetáculo.
Colaboração com a revista “Manequim” nos assuntos noivas e carnaval

1974
Desenhos e assessoria de estilismo para a Raicharm Indústria de Malhas e Modas Ltda.
Modelos para Fios Pessina – verão 74/75
Sofre um AVC, perde alguns movimentos e passa a ter algumas limitações para trabalhar.

19761977
Decoração para o “TV Rio Carnaval Show” do Hotel Glória.
Decoração carnavalesca do Salão Nobre do Hotel Glória.
Nas décadas de 60 a 70 cria inúmeros modelos de vestidos de noivas e para ocasiões especiais para as sobrinhas e amigas.

1980
Falece no Rio de Janeiro em 13 de janeiro. Seu inestimável legado é objeto de pesquisa, estudo e exposições. Muitos artigos já foram publicados sobre o artista em diversos jornais e revistas, assim como na web. 1980

Imagens e fotos: Acervo Alceu Penna Texto: Luiza Penna de Andrade
Este material é detentor do direito autoral, patrimonial e moral, com base nos incisos do art. 7º da Lei n. 9.279 de 1996 (LPI) e artigo 5°, inciso XXIX, da Constituição de 1988. Uso indevido está sujeito a indenizações. Para reproduzi-lo entre em contato com [email protected] ₢ Art-Emporium Ltda.
Para saber mais: Webpage www.alceupenna.com.br/Facebook @alceuppenna/Instagram @alceu_penna_oficial/Tumblr alceupenna.tumblr.com